quinta-feira, 28 de maio de 2015

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Nós mudamos ;)


"Respeite tudo em você!
Respeite seus sonhos, seus medos, sua coragem e seu sentir.
Respeite cada aspecto do seu ser. Dessa forma conseguira discernir sem julgamentos o que serve e o que não serve em cada etapa da sua vida. 
Compreenda o que deve ser deixado e o que deve ser acrescentado, lapidando sua alma, conhecendo a freqüência da sua vibração e tendo consciência da energia, que é informação, que é emanada por você e consequentemente, que recebida por pura consonância!
Respeite quem você é, somente assim haverá mudanças.
Quando estamos em estado de briga, estamos tão ocupados em ver as sombras, que elas se tornam-se maiores do que realmente são. Quando estamos em estado de aceitação, tudo apenas É!
Respeitando, aceitando e fluindo, a paisagem muda, nós mudamos e a vida muda!" 

Rose Kareemi Ponce

terça-feira, 19 de maio de 2015


Um novo dia nasce e com ele um novo tempo,
sem coleiras nem promessas, apenas belos sentimentos,
um novo dia nasceu e com ele um novo tempo,
quem se prende ao passado morre,
eu aprecio o movimento,
aqui vai água, ar e fogo, ferro, pedra, briga, benção e fumaça,
a terra treme quando ela passa.


Rancore

quarta-feira, 13 de maio de 2015

"Somos finos como papel. Existimos por acaso entre as porcentagens, temporariamente. E esta é a melhor e a pior parte, o fator temporal. E não há nada que se possa fazer sobre isso. Você pode sentar no topo de uma montanha e meditar por décadas e nada vai mudar. Você pode mudar a si mesmo para ser aceitável, mas talvez isso também esteja errado. Talvez pensemos demais. Sinta mais, pense menos."

Charles Bukowski

segunda-feira, 4 de maio de 2015

E se não chegar,também está tudo bem ;)

Esse texto é a da Tati Bernardi <3


Não me sonhe, por favor. Pessoas que acham que podem me amar me ofendem. É sempre muito pouco o que elas podem e é sempre muito diferente do que deveria ser amor o que elas oferecem.
(...)
É sempre nojento quando aparece alguém que quer tentar me amar. Sempre daquele jeito burocraticamente aos poucos e equilibrado e respeitado pela vida social e empresarial e natural e dentro da rotina dos humanos normais do planeta que precisam ir aos poucos porque a vida em sociedade empresarial e natural e tudo isso. E então eu tenho prazer de tornar a vida de todo mundo que se aproxima de mim, achando que pode me amar igual meu vizinho ama a minha vizinha, um inferno. É que, por completa infelicidade, eu sempre acho a minha grama infinitamente mais verde.
(...)

Minha vizinha, que é absurdamente igual a todo mundo, é casada com um homem que poderia se passar por qualquer ser humano da terra. Eles vivem uma vida muito parecida com todas as outras. Uma parede me separa dessa realidade insuportável e eu os odeio por isso.



Enquanto isso, gosto bastante de rapazes que, numa festa, conversam de costas pra mim. Pessoas que pouco se importam com a minha existência me libertam de ser especial. Ou, melhor, de não ser esse pequeno e medíocre “especial” que é o máximo de especial que as pessoas podem sentir e dar e ter. Resumindo: me libertam de não ser especial



Se não me percebem não preciso entrar em contato com a dor suprema que é ser percebida de forma tediosa ou menor ou superficial ou igual todos se percebem e se têm e, por fim e rapidamente, não se suportam mais.



Sou imatura, egocêntrica e debilmente iludida por uma auto-estima analgésica de efeito rebote. E dane-se. Um dia o meu amor verdadeiro chegará e será diferente de tudo isso e nós vamos chorar de emoção por ter valido a pena não sangrar até a morte nos insistentes e rotineiros momentos de angústia e nada e vazio e solidão e inconformismo.

Futuro virando presente.

Sempre que alguém me pergunta como vim parar no interior conto uma história diferente.
De verdade,não foi só por um motivo.
Queria sair de casa.Esse talvez o mais forte na época.
Queria estudar.Lembro de uma certa vez que minha prima disse que queria ser bióloga e pensei:
"Gente,pra quê?"
Depois fomos a uma feira de estudantes e conheci uma bióloga foda.
Preciso dizer qual foi o curso que escolhi?
Talvez se existisse algum curso de humanas aqui teria optado por ele.
Ainda existia um rapaz que por coincidência morava numa cidade próxima,haha.

Então,em agosto de 2009 algumas coisas estavam decididas:
BIOLOGIA.ILHA.AMOR.
Era isso.

29 de Janeiro de 2010.
O resultado oficial que trouxe a confiança que levarei até o fim.
Aquela confiança de conseguir o que se almeja.

04 de Maio de 2015.
Daqui quatro dias é a minha colação de grau.
Estou tão feliz que até abraçaria as pessoas.(haha)
Quem diria que  escolheria trabalhar com plantas?
Quem diria que  perderia o medo de insetos?
Quem diria que  contaria os dias para voltar a casa dos meus pais?
Quem diria que meus irmãos estariam morando em Ilha?
Quem diria que me tornaria mais calma?
Quem diria que conseguiria administrar uma república?
Quem diria que aprenderia inglês por vontade própria?
Quem diria que iria criar vínculos tão fortes?(Sim,essa é mesma pessoa que disse aos amigos de São Paulo que estava indo estudar ,não para fazer amigos).
Quem diria que iria terminar o curso?hahaha.

Depois de todo esse caminho percorrido sinto que as próximas batalhas serão mais difíceis e intensas.
Só quero dizer que estou preparada e estou muuuuuuito (desse jeito mesmo) empolgada com os próximos capítulos da minha vida.
Eles serão mais bonitos,felizes e divertidos do que todos que já vivi até aqui.
Quando terminei o Ensino Médio não fiquei naquela tristeza de "os melhores momentos da minha vida foram aqui."
Agora terminando a faculdade sinto a mesma coisa.
É algo que sempre veio comigo.Olhar para frente,ver as possibilidades,entender que isso é um momento e que vai passar.
Talvez pelo fato das coisas ruins do passado,aprendi a acreditar na vida,no que estava por vir.
E quando as coisas começaram a se ajeitar,foi ai que entendi:
O melhor momento é o que estou vivendo.
É agora.
Assim posso construir meu futuro da melhor maneira possível.




Kenshin :D :D




Quem me visita aqui :D